Ele não está tão a fim de você: um filme sobre relações, autoestima e amor próprio

Se você ainda não assistiu Ele não está tão a fim de você, experimente essa comédia romântica para identificar até onde os sinais mal interpretados nas relações amorosas podem te levar.

Lançado em 2009, o sempre atual filme dirigido por Ken Kwapis, baseado no livro de auto-ajuda de mesmo nome de Greg Behrendt e Liz Tuccillo, mostra exemplos de como as mulheres devem parar de analisar as ações dos homens quando é completamente óbvio o que estão pensando.

Na verdade, um elenco de estrelas como Scarlett Johansson, Jennifer Aniston, Jennifer Connelly, Ben Affleck, Drew Barrymore, entre outras, é apresentado nas histórias interconectadas de um grupo de pessoas entre vinte e trinta anos, de Baltimore, famintas por amar e serem amadas.

Ficar esperando um convite para sair, uma ligação que não toca, insistir em um casamento fracassado, sonhar em se casar numa cerimônia, e sentir que não faz mais amor como antes, são alguns comportamentos revelados no decorrer da trama.

Conclua agora neste artigo, como o universo feminino é retratado em Ele não está tão a fim de você e aprenda lições importantes para o seu autoconhecimento.

  • Isso não precisa ser assim

Logo no início do filme Ele não está tão a fim de você, a personagem principal Gigi, interpretada por Ginnifer Goodwin, explica:

“Estamos todos programados para acreditar que se um cara age como um idiota total, isso significa que ele gosta de você”.

Gigi – Ele não está tão a fim de você

Saiba que isso não precisa ser assim!

Cuidado para não prestar um péssimo serviço a você ao continuar permitindo que as pessoas, sejam parceiros românticos, encontros em potencial e até amigos, te tratem mal, mesmo que depois eles afirmem que ainda se preocupam com você, sendo que suas ações provam o contrário.

  • Quanto mais análise, mais estresse

Quem nunca experienciou dezenas de cenas descritas no longa Ele não está tão a fim de você, que atire a primeira pedra.

Todos nós podemos ver um pouco de nós mesmos em Gigi, quando ela passa horas estudando o que exatamente um pretendente quis dizer a ela com: “Foi muito bom conhecê-la.”

É muito fácil criar mil e uma possibilidades de interpretações, principalmente quando você está interessada por alguém.

Claro, há momentos em que ler nas entrelinhas torna-se espontâneo, mas na maioria das vezes, analisar tudo o que um namorado fala ou escreve, nunca é uma boa ideia e sempre causa estresse.

  • Exceção à regra é ilusão

Uma das grandes passagens de Ele não está tão a fim de você é a “exceção à regra”: o conceito de que mesmo que alguém diga que não quer um relacionamento, ou casar, você será aquela que mudará o jogo e as condições do jeito que estão, e o fará se apaixonar perdidamente, por exemplo.

Isso significa que quando você está saindo com uma pessoa que leva semanas para responder às suas mensagens, você deve parar de pensar que ele vai mudar, interagir e te procurar.

Tentar ser a ‘exceção’ de alguém, aceitando atitudes que agridem a sua autoestima e não a fazem se sentir bem, não é saudável.

  • Morar junto ou casar?

Em Ele não está tão a fim de você, a personagem de Jennifer Aniston queria se casar, apesar de morar há muitos anos com seu companheiro, o que para ele, já era um casamento.

Veja, para muitos, as duas opções são iguais: morar junto é casar e ponto final.

Porém, enquanto algumas pessoas pensam que a primeira é uma etapa para chegar na segunda, tem gente que só aceita casar de papel passado, e outros acham que isso é bobagem e que morar junto é o que vale.

No final, quem está certo?

Não existe um certo e outro errado, um melhor e outro pior: o ideal é estar de acordo com seus desejos e do seu parceiro também.

E para evitar os conflitos expostos no filme Ele não está tão a fim de você, o que realmente importa, é saber qual desses valores mais combina com vocês, e transmitir da melhor maneira possível os seus mais sinceros sentimentos.

Sem pretensão de dar spoiler, permita-se descobrir o desfecho de Ele não está tão a fim de você e confie que um final feliz está mais relacionado ao seu amor próprio, do que qualquer outro foco.

Ah! Depois me conta o que achou. Vou amar o seu comentário!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s