Cerimônia Celta: 9 momentos repletos de simbolismo para chamar de seus

Para os noivos que estão sempre em busca de rituais cheios de significados, saibam que a Cerimônia Celta é uma boa pedida para incorporar uma conexão mais profunda com a natureza e a sabedoria ancestral ao casamento de vocês.

Por isso, caso sejam descendentes de irlandeses e escoceses, ou apenas sintam afinidade em conhecer a história e a magia de uma Cerimônia Celta, dedico este artigo para honrar essa herança, tanto em espírito quanto para se pôr em prática.

Então, vamos lá!

A história das Cerimônias Celtas

Antes de evidenciar a Cerimônia Celta, vale destacar quem eram os celtas: povos da Antiguidade que viveram na Irlanda, Grã-Bretanha e parte da Europa, a partir do II milénio a.C. até as conquistas progressivas de Roma e depois do Cristianismo.

Eles viviam em harmonia com a natureza e seus quatro elementos, e sua sociedade foi fundada e organizada em múltiplas tribos pertencentes às “grandes famílias”, o que hoje identificamos como “clãs”.

Por incrível que pareça, as Cerimônias Celtas eram formalidades contratuais e sem vínculos religiosos, onde a união livre e consensual entre duas pessoas garantia ao casal direitos e deveres de salvaguardar a família.

Assim, a maioria das tradições que os celtas celebravam em seus casamentos espalharam por outras culturas e gerações, e jamais desapareceu!

A magia das Cerimônias Celtas

Cada Cerimônia Celta reflete uma magia e muitos costumes matrimoniais seculares que ainda hoje são fontes de inspiração.

A seguir estão 9 momentos repletos de simbolismo, originalidade e tradição, para você considerar abraçar em seu grande dia.

Círculo Celta
  • Consagração do Círculo Celta: antes da existência de templos e casas de culto, os celtas designavam os espaços da natureza como mandalas sagradas para realizar seus casamentos. Para fazer isso, um círculo é desenhado com flores e vegetação, e consagrado pelo celebrante de casamento, enquanto explica o que representa os quatro elementos (água, terra, fogo e ar), e informa aos convidados que a Cerimônia Celta acolhe adeptos de todas as religiões.
  • Apresentação dos noivos: como os casamentos modernos incluem algum tipo de procissão ao altar, na Cerimônia Celta, os noivos caminham até o círculo, simbolizando suas escolhas de vida até o ponto de união. A partir daí, são apresentados diante da roda, seja na companhia dos pais, padrinhos, familiares e amigos queridos.
  •  Declaração de boas-vindas: este é o momento do celebrante de casamento dar boas-vindas ao casal no círculo e declarar o propósito da Cerimônia Celta, junto com as bênçãos, orações, homenagens, leituras ou canções celtas, e tudo o mais que a identidade do casal desejar acrescentar.
  • Votos de Casamento: os votos são reverenciados em qualquer Cerimônia Celta, e com palavras tão perfeitas e eloquentes, que muitos casais tocados pela tradição celta escolhem votos que foram escritos gerações atrás para expressar seu amor e compromisso um com o outro.
  • Troca de anéis: uma Cerimônia Celta inclui troca de anéis como forma de professar amor e dar valor permanente às promessas. Para tal, são colocados sobre a mesa do altar um prato de sal, que representa a terra, um cálice com um líquido, a água, a fumaça de um incenso, o ar e uma vela, que simboliza a chama do amor. Esses quatro elementos abençoam o casal, e as alianças, de preferência “Anel Claddagh”, são lavados com uma água consagrada preparada especialmente para essa finalidade.
  • Ligação (“Jejum”) das mãos: antigamente, os casais amarravam as mãos publicamente como meio de noivado. Hoje, dão as mãos, normalmente enroladas com um pano ou corda formando um círculo de amor infinito e duradouro, segundo a tradição da Cerimônia Celta.
Ligação das Mãos
  • Vela da Unidade: a Cerimônia Celta também oferece o acendimento de velas para simbolizar a união de duas famílias. As velas externas representam as famílias da noiva e do noivo, enquanto a vela maior do pilar central representa a nova família recém constituída pelo casamento.
  • Ação de Graças e Juramento: antes de concluir a Cerimônia Celta, é de praxe ofertar hidromel e pão aos ancestrais e em seguida, compartilhar uns com os outros, como forma de agradecer a existência e a mãe terra pelos seus frutos. Isso pode ser feito com vinho doce e bolo, o primeiro brinde aos ancestrais, um segundo aos entes queridos que não puderam comparecer e um terceiro para o próprio casal desfrutar da primeira bebida e refeição juntos.
  • Benção e abertura do Círculo Celta: a união do casal é abençoada pelo celebrante de casamento, o matrimônio é declarado e o círculo é aberto soltando-se as flores e lavandas como símbolo de devoção e expansão da santidade daquele espaço da Cerimônia Celta para todas as outras áreas da vida do casal.

Conhecendo todos os significados da Cerimônia Celta, o próximo passo é começar a idealizar a caracterização da festa, músicas e paisagens naturais, para que todos entrem no clima da escolha realizada pelos noivos.

Mas, o mais importante, seja em uma Cerimônia Celta ou não, é que esse é o momento máximo da celebração do amor entre duas pessoas a ser desfrutado com todos aqueles que são únicos para o casal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s